Saturday, February 16, 2008

....Os Sinais do Medo da Diferença....


Nada mais tocante do que a nossa nudez, mas as convenções, tabus, a hipocrisia dos falsos moralismos, fazem-nos às vezes representar papéis que não são nossos, usar máscaras que nos desumanizam e tornam infelizes, apenas pelo o medo da reprovação da família, dos amigos da sociedade.
Tememos não ser amados por sermos diferentes do que é suposto ser. Nascemos, vivemos e morremos ao lado de amigos e familiares que se dizem íntimos, mas para quem somos e nos são desconhecidos. Numa família, raras são as pessoas que se conhecem, amam e aceitam verdadeiramente.
Queremos o amor dos nossos pais, mas eles próprios nos entregam no berço, o papel que nos esperam ver desempenhar vida fora. Com pouca margem de improviso e criatividade, porque a criatividade faz de nós seres únicos e a diferença paga-se caro.
A maior miséria que podemos herdar é o medo, que através de gerações aparece personificado pela imcompreensão e desamor. pela guerra, intolerância e ausência de compaixão, de saber estar ao lado de quem sofre. Pela farsa que ele nos leva a representar.
Um medo disfarçado de juiz da moral e dos costumes, que transforma o amor e o sexo em actos vergonhosos quando deviam ser belos e libertadores.
A. Zanati

21 comments:

Special K said...

Infelizmente sei bem o que é esse medo.
Bjks

O Profeta said...

A melodia do teu canto reverbera no tempo
A lonjura é o momento do abraço
O teu sorriso chegou ao meu silêncio
Solta palavra doce no espaço



Uma torrente de emoções espera-te


Bom domingo



Doce beijo

Dantins said...

Achei que se adequava, aqui, uma frase com que Ana Zanatti autografou um livro para mim e para a minha namorada:
"Do lado de lá dos medos há sempre uma luz que nos espera. Oxalá ela vos acompanhe pela vida fora."
Que essa luz te acompanhe.
Bjos

Estrelaminha said...

Adorei esse livre (Os sinais do medo), ajudou-me a visualizar a vida de outra forma. Um livro extraordinário e pode ser uma rampa de lançamento para aprender a perder alguns medos.

Alma Nova said...

Grande verdade, amiga. O medo social compele-nos a ser o que não somos e a esconder a real beleza de Nós. E é contra esse medo que temos de lutar e aprender a cada dia, a "Ser", simplesmente quem somos, conhecedo-nos cada vez melhor.

Sniqper ® said...

A máscara do medo, sentimento que por vezes é positivo, mas tantas são as vezes que é negativo.
Deixamos de viver em função do medo, do que pensam de nós e porquê? Sim pergunto eu, porquê?
Medo...
Deixei de o sentir, quero viver, ser e fazer o que sinto, quem gostar fica, quem detestar, paciência...
Que fique com o medo da minha coragem de ser o que sou.

ivone said...

é preciso coragem. muita coragem. não há que temer!
sê tu na tua plenitude.
a imoralidade reside na maior parte das vezes na cabeça dos outros. não na nossa. não há que temer. não há que ter medo.
não há que se assumir em nada. ser como se é para estares bem contigo e por consequência com os outros também. talvez pareça um pouco onírico o que te estou a dizer mas tem de ser assim.
sem medo. medo de quê?

beijos no teu coração

Su said...

gostei de ler

jocas maradas...sem medos-------------

Memory said...

Special,
Muitas vezes é se obrigado a isso.

Bjks

Memory said...

Profeta,
Obrigada por mais este poema.

Bom domingo também para ti.

Um abraço

Memory said...

Dantins,
Bela frase essa da A. Zanatti. Todos nós precisamos dessa luz.

Beijos

Memory said...

Estrelaminha,
Sê bem vinda aqui ao Not Too Late. Eu li o livro e gostei francamente dele.
É realmente uma rampa de lançamento para se combater os medos.

Um abraço

Memory said...

Alma,
Amiga podes crer. Conhecermo-nos o melhor possivel , é uma forma firme de lutar contra os medos.

Jokas

Memory said...

Sniqper,
Nada mais certo o que dizes. É isso mesmo.

Um abraço

Memory said...

Ivone,
Hoje eu vivo em paz de espirito comigo mesma. No entanto a maior parte das pessoas com quem convivo não sabem ''quem eu sou..'' nem sei se algum dia virão a saber. O futuro logo me iluminará em relação a isso.

Beijos

Memory said...

Su,

Um abraço marado....:)

Maria Papoila said...

Nada pior do que representarmos vida fora um papel que não é nosso.

Adoa said...

Lindo...
Há que ter sempre coragem para se dizer a verdade.
E verdade em nós para a sabermos expressar...

Beijo

Memory said...

Maria Papoila,
A vida devia ser para se poder viver abertamente, mas por vezes nem sempre é possivel, e termos de viver papeis que não são os nossos.

Um abraço

Memory said...

Adoa,
Devemos ser sempre sinceros com nós próprios mesmo que isso nos custe.

Kisses

Adoa said...

Acima de tudo connosco!

Beijo!